Este slideshow necessita de JavaScript.

“MEU FILHO SEM NOME”
Espetáculo aborda o tema adoção sob as óticas das mães biológica e adotiva, seus amores e razões.

De quando nasceu até ser adotado, aos 6 meses, o menino foi chamado de Vítor, Gabriel e André. Faltava a ele, além de um lar, uma identidade. Esse é um dos pontos tratados no espetáculo Meu Filho Sem Nome, dirigido pelo premiado Marcelo Romagnoli (ganhador do APCA – melhor direção e Femsa – autor de texto original em 2010 com o espetáculo jovem Espoleta), que estreia dia 6 de agosto de 2011, no Teatro Brigadeiro, em São Paulo. A peça tem no elenco as atrizes Aparecida Petrowky (novela “Viver a Vida”) e Christiane Brasil, além de Lu Grecco na cenografia e figurinos, Claudia Dorey na trilha sonora e Cizo de Souza na iluminação.

Mesclando ficção e realidade, a autora Izilda Simões inova ao resgatar as possíveis razões da mãe biológica ao abandonar seu filho, criando no imaginário do público a possibilidade real da criança ter sido amada, em algum momento, por quem a gerou, apesar do abandono, da falta da certidão de nascimento, da falta de um nome.

Sinopse
O espetáculo discute de forma poética o tema da adoção de crianças no Brasil. Mostra a história de duas mães: Cida (Aparecida Petrowky), que alimenta o desejo de gerar um filho, mas vê o sonho ruir e Cris (Christiane Brasil), uma menina de 15 anos que descobre a gravidez, o medo e a dúvida. São duas mulheres em conflito, que procuram em si e no mundo, uma identidade para o filho.

A montagem
“É um drama de duas mulheres, duas mães, em diferentes lados e tempos da vida. A protagonista é uma mulher em transformação, com grande sentimento de maternidade. A peça discute alguns aspectos desse estado de maternidade, o afastamento e o encontro com um recém-nascido”, define Romagnoli. No palco, cada uma das mães vive mais um personagem: dona Dina, a funcionária da creche e Berenice, a diarista. As histórias das duas mães são contadas paralelamente, no mesmo instante, ao mesmo tempo. Porém, nunca se cruzam, nunca se entrelaçam. Cada uma vive seu drama, expondo suas realidades e sentimentos com leveza e esperança.

A cenografia e o figurino são assinados por Lu Grecco, responsável pela criação dos cenários dos programas “Castelos Rá-Tim-Bum”, “Cocoricó”, “Musikaos”, “Bem Brasil”, “Vitrine”, “Turma da Cultura, “RG” e “Ilha Rá-Tim-Bum”. No palco, malas multifuncionais compõem o cenário e, manuseadas pelas atrizes, podem transformar-se em vários ambientes, como um quarto, um vagão de trem ou mesmo um berçário.” ”A mala é um símbolo da transitoriedade. Ilustra os vários processos de mudança das personagens”, explica o diretor.

Com narrativa poética e fortes pinceladas lúdicas, Meu Filho Sem Nome é um espetáculo que se baseia no trabalho do ator, na cenografia e na trilha sonora – assinada e especialmente criada pela cantora e compositora Claudia Dorey – que dialoga diretamente com a expressividade dos personagens e com a força narrativa da história.

O texto Meu Filho Sem Nome teve colaboração técnica do Grupo Acesso – Estudos, Intervenção e Pesquisa em Adoção, da Clínica Psicológica do Instituto Sedes Sapientiae de São Paulo.

Ficha técnica
Direção e adaptação: Marcelo Romagnoli
Texto: Izilda Simões
Elenco: Aparecida Petrowky e Christiane Brasil
Cenografia e figurinos: Lu Grecco
Programação Visual: João Batista Correa
Iluminador: Cizo de Souza
Fotógrafo: Marcos Alberti
Trilha Composta: Claudia Dorey
Assessoria de Imprensa: Canal Aberto
Assistente de Assessoria de Imprensa: Lau Francisco
Direção de Produção: Daniel Palmeira
Produção Geral: Izilda Simões

Serviço
Meu Filho Sem Nome
Teatro Brigadeiro – Av. Brigadeiro Luís Antonio, 884 – Bela Vista
Tel (11) 3115-2637 – Bilheteria (11) 3107-5774
Venda pela internet: www.ingresso.com.br
Bilheteria: de terça a domingo, das 14h até o horário da última peça
Temporada: de 6 de agosto a 18 de setembro de 2011
Sessões: Sábado às 18h, domingo às 17h
Ingresso: R$ 30,00 e R$ 15,00 (meio entrada)
Lotação: 700 lugares
Duração: 60 minutos
Recomendação: 14 anos

Canal Aberto Assessoria de Imprensa
Fones: 011 2914 0770/ 3798 9510
Márcia Marques: 011 9126 0425
Lau Francisco: 011 8807 6467
msn: claramm@hotmail.com/ Site: www.canalaberto.com.br/
Twitter: canalaberto / Skype: canal.aberto

 

APOIO

Grupo Acesso – Estudos, Intervenção e Pesquisa em Adoção, da Clínica Psicológica do Instituto Sedes Sapientiae de São Paulo

O texto da peça “O Menino sem Nome” passou por revisão técnica, do ponto de vista das questões que envolvem a experiência com adoção, pelo Grupo Acesso, Estudos, Intervenção e Pesquisa em Adoção, da Clínica Psicológica do Instituto Sedes Sapientiae de São Paulo, constituído por 18 psicanalistas do Instituto Sedes Sapientiae – SP.

 O Instituto Sedes Sapientiae é uma instituição que em seus mais de 30 anos de existência tem construído um trabalho sólido nas áreas da saúde mental, educação e filosofia caracterizando-se pelo compromisso em analisar e responder as exigências do contexto social para a construção de uma sociedade baseada nos princípios da solidariedade e da justiça social.

O projeto da peça “O Menino sem Nome” tem sua relevância principalmente por apresentar à criança adotada a possibilidade de ter sido amada na origem de sua vida.

Para Maria Luiza de Assis Moura Ghirardi, psicanalista co-coordenadora do Grupo Acesso, do Instituto Sedes Sapientiae - SP a pesquisa sobre as próprias origens é inerente à experiência humana. A psicóloga afirma que buscar as origens é conhecer algo acerca de si mesmo, e que a necessidade de conhecer sobre nós mesmos é uma condição importantíssima na constituição de nosso mundo interior, nossa subjetividade.

Assim, somos levados a formular uma teoria que dê significado à nossa inserção no mundo. Conhecer sobre as origens está ligado à capacidade de dar sentido a um “quebra-cabeça’ que situará o lugar que ocupamos na vida; é um saber sobre quem somos e qual a importância que temos para aqueles que nos são muito queridos.

Nascer é se ver atravessado pelas questões da vida e pelo mistério da existência. É CONHECER a posição humana e as condições necessárias à instalação de si no mundo com outros. Quando o ser humano se vê diante da impossibilidade de entrar em contato com sua história pessoal e com suas origens, é levado a um sofrimento sem contorno e, portanto vive uma experiência desesperadora.

 “Quando não temos CONHECIMENTO em relação às nossas origens, não conseguimos montar as peças que podem nos dar as pistas necessárias para saber quem somos. Perdemos a experiência de humanização; não conseguiremos montar projetos de vida e de futuro. E muito provavelmente não conseguiremos amar…”

 A autora da peça “O Menino sem Nome” resgata nesta história, a mãe biológica da criança adotada, de uma forma positiva, criando no imaginário das pessoas a possibilidade desta ter amado o filho que gerou e não o descartado, quebrando assim o estigma negativo em relação à criança adotada e à palavra Adoção.

Apresenta também todos os conflitos vividos pelas duas mães, a biológica e a adotiva, passando pelas dificuldades que ambas viveram.

 É certo para nós, do Grupo Acesso – Estudos, Intervenção e Pesquisa em Adoção da Clínica Psicológica do Instituto Sedes Sapientiae -SP que esta história poderá ser utilizada para a discussão de diversos temas, que envolvem a relação pais e filhos e principalmente a experiência da adoção, colaborando para a melhoria das relações humanas.

 São Paulo, 28 de janeiro de 2010.

Obs: Em algumas datas pré-estabelecidas, após a exibição do espetáculo, acontecerão palestras ou debates, mediados por psicoterapeutas do Grupo Acesso, tratando o tema ADOÇÃO.

 

ICC – Instituto Criança Cidadã

O ICC, Instituto Criança Cidadã, também apóia o projeto da peça “O Menino sem Nome”.

O ICC, sendo responsável pelo atendimento direto e gratuito a mais de 6.000 pessoas, ratifica e destaca a importante mensagem que a Peça Teatral “O Menino sem Nome”, trará para todas essas pessoas. “Destacamos entre as várias situações conflitantes nas comunidades atendidas pelo ICC, a “Gravidez na Adolescência”, ocorrência freqüente que, por muitas vezes, abala e desestrutura as famílias envolvidas, acarretando sobremaneira, prejuízos variados para todos os envolvidos, principalmente para o futuro da criança que está por vir. Sabedores de que esta Peça Teatral, retratará uma realidade bastante comum no cotidiano de nossas comunidades, declaramos aqui, nosso total apoio ao seu desenvolvimento, sendo certo que a partir de sua exibição para nossas comunidades, estará contribuindo e suscitando o diálogo para esse tema de profunda relevância entre pais e filhos”.

Joel Stucchi – presidente do ICC.

 

 

PROGRAMA DE INCENTIVO AO TEATRO E À DANÇA PAULISTA

O projeto da peça “O Menino sem Nome” foi classificado como sexto suplente no Programa de Incentivo ao Teatro e à Dança Paulista da Secretaria da de Estado da Cultura de São Paulo, quando a atriz Aparecida Petrowky ainda não fazia parte do elenco.
 
A Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, por meio da Unidade de Fomento e Difusão de Produção Cultural, torna público que, até o dia 07 de junho de 2010, estarão abertas as inscrições para o “PROGRAMA DE INCENTIVO AO TEATRO E À DANÇA PAULISTA – 2010″, Programa que visa apoiar a PRODUÇÃO de projetos de espetáculos inéditos de TEATRO ou DANÇA, apresentados por pessoa física ou pessoa jurídica brasileira de natureza cultural, de acordo com as condições e exigências do presente Regulamento.
 
http://www.cultura.sp.gov.br/portal/site/SEC/menuitem.743e24c3aed90ec40fc55410e2308ca0/?vgnextoid=e35b01757a718210VgnVCM2000004d03c80aRCRD&vgnextchannel=bbdc4a3c667bb110VgnVCM100000ac061c0aRCRD

Diário Oficial – Poder Executivo – 09 de setembro de 2010 – seção 1 -pág. 48

 

Formas de Parceria

 
PROPOSTA DE PATROCÍNIO EXCLUSIVO – APRESENTA
100% do custo do projeto: R$ 177.958,00*
 
PROPOSTA DE PATROCÍNIO
R$ 97.958,00

PROPOSTA DE CO-PATROCÍNIO
R$ 58.726,14
 
PROPOSTA DE APOIO
R$ 32.526,00

PROPOSTA DE APOIO – 2
R$ 17.795,80

* Valor aprovado para a captação de recursos deste Projeto, publicado no Diário Oficial da União, seção 1, página 27, de 20 de abril de 2010.

R$ 177.958,00 (para estreia e temporada em São Paulo)

Para montagem e temporada do espetáculo em São Paulo, conforme aprovação na Lei Rouanet. 

 

 

PROPOSTA DE PATROCÍNIO EXCLUSIVO – APRESENTA

 R$ 177.958,00 (para estreia e temporada em São Paulo)

Para montagem e temporada do espetáculo em São Paulo, conforme aprovação na Lei Rouanet.

Além dos benefícios fiscais assegurados pela legislação, o patrocinador exclusivo terá direito ainda:
1. Isenção Fiscal: Lei Rouanet – 8.313/91 (Dedução do patrocínio no Imposto de Renda devido ao Ministério da Fazenda);
2. Marketing Institucional: Produto cultural adequado à filosofia institucional da empresa;
3. Assinatura nos produtos gráficos promocionais (na forma de apresenta) do espetáculo como patrocinador: folder e/ou programa – página inteira com a logomarca da empresa, nas filipetas, cartazes e banners com a inserção da logomarca da empresa;
4. Sessão exclusiva do espetáculo para ser usada da forma como o patrocinador desejar: para clientes, funcionários, fornecedores, etc.;
5. Desconto para funcionários;
6. Exibição de um comercial de 20” (produzido pela empresa patrocinadora) antes de cada sessão;
7. Locução na abertura de todas as apresentações;
8. Mídia: anúncios nos jornais de São Paulo (O Estado de S.Paulo ou Folha de S. Paulo) como patrocinador apresenta exclusivo da temporada do espetáculo na cidade – 12 inserções
 
 
PROPOSTA DE PATROCÍNIO
 
Valor intermediário do projeto
R$ 97.958,00 (referente à estreia e temporada em São Paulo)

Além dos benefícios fiscais assegurados pela legislação, terá direito ainda:
1. Isenção Fiscal: Lei Rouanet – 8.313/91 (Dedução do patrocínio no Imposto de Renda devido ao Ministério da Fazenda);
2. Marketing Institucional: Produto cultural adequado à filosofia institucional da empresa;
3. Assinatura nos produtos gráficos promocionais (na forma de patrocínio) do espetáculo: folder e/ou programa – 1 página com a logomarca da empresa, filipetas, cartazes e banners com a inserção da logomarca da empresa no rodapé do material;
4. Cota de convites para a estreia e temporada para ser utilizado da forma como convier ao apoiador: com funcionários, clientes, fornecedores, etc.;
5. Descontos para funcionários da empresa;
6. Exibição de um comercial de 15” (produzido pela empresa patrocinadora) antes de cada sessão;
7. Locução na abertura de todas as apresentações;
8. Mídia: anúncios nos jornais de São Paulo (O Estado de S. Paulo ou Folha de S. Paulo) como patrocinador da temporada do espetáculo na cidade – 12 inserções
 

PROPOSTA DE CO-PATROCÍNIO

Valor intermediário do projeto
R$ 58.726,14 (referente à estreia e temporada em São Paulo)

Além dos benefícios fiscais assegurados pela legislação, terá direito ainda:
1. Isenção Fiscal: Lei Rouanet – 8.313/91 (Dedução do patrocínio no Imposto de Renda devido ao Ministério da Fazenda);
2. Marketing Institucional: Produto cultural adequado à filosofia institucional da empresa;
3. Assinatura da logomarca da empresa nos produtos gráficos promocionais (na forma de apoiador) do espetáculo: folder e/ou programa – filipetas, cartazes e banners com a inserção da logomarca da empresa no rodapé do material;
4. Cota de convites durante toda a temporada para ser utilizado da forma como convier ao apoiador: para funcionários, clientes, fornecedores, etc.;
5. Descontos para funcionários da empresa;
6. Locução na abertura de todas as apresentações;
7. Mídia: anúncios nos jornais de São Paulo (O Estado de S. Paulo ou Folha de S. Paulo) como apoiador da temporada do espetáculo na cidade – 12 inserções
 

PROPOSTA DE APOIO

Valor intermediário do projeto
R$ 32.526,00 (referente à estreia e temporada em São Paulo)

Além dos benefícios fiscais assegurados pela legislação, terá direito ainda:
1. Isenção Fiscal: Lei Rouanet – 8.313/91 (Dedução do patrocínio no Imposto de Renda devido ao Ministério da Fazenda);
2. Marketing Institucional: Produto cultural adequado à filosofia institucional da empresa;
3. Assinatura da logomarca da empresa nos produtos gráficos promocionais (na forma de apoiador) do espetáculo: folder e/ou programa – filipetas, cartazes e banners com a inserção da logomarca da empresa no rodapé do material;
4. Cota de convites durante toda a temporada para ser utilizado da forma como convier ao apoiador: para funcionários, clientes, fornecedores, etc.;
5. Descontos para funcionários da empresa;
6. Locução em off antes do início de cada sessão do espetáculo;
7. Mídia: anúncios nos jornais de São Paulo (O Estado de S. Paulo ou Folha de S. Paulo) como apoiador da temporada do espetáculo na cidade – 12 inserções


PROPOSTA DE APOIO  2

Valor intermediário do projeto
R$ 17.795,80 (referente à estreia e temporada em São Paulo)
Contrapartida a ser definida pelo produtor.

Contato: comunicadoravisual@gmail.com

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.